Krishanamurti

krishnamurtiAutoconhecimento é um  processo

O texto abaixo de Jiddu Krishnamurto, mestre gnóstico do século XX, no mínimo convida-nos a uma séria reflexão.

Então, para compreender os inumeráveis problemas que cada um de nós tem, não é essencial que haja autoconhecimento? E essa é uma das coisas mais difíceis, consciência de si – o que não significa um isolamento, um retraimento. Obviamente, se conhecer é essencial; mas se conhecer não implica se retirar da relação. E seria um erro, certamente, pensar que a pessoa pode se conhecer significantemente, completamente, totalmente, através do isolamento, ou indo para algum psicólogo ou algum sacerdote; ou que se pode aprender autoconhecimento através de um livro. Autoconhecimento é obviamente um processo, não um fim em si mesmo; e para conhecer a si mesmo, deve-se estar cônscio de si mesmo em ação, o que é relação. Você descobre a si mesmo, não em isolamento, não retraído, mas em relação, em relação com a sociedade, com sua esposa, seu marido, seu irmão, com o homem; mas para descobrir como você reage, qual é sua resposta, é preciso extraordinária vigilância da mente, sutileza de percepção.

J. Krishnamurti, The Book of Life